Data limite para o envio das propostas de Posters: 30 de março de 2018
Comunicação de aceitação provisória: 25 de abril de 2018
Data limite de receção dos Posters revistos: 10 de maio de 2018
Comunicação da aceitação definitiva: 10 de junho de 2018

 

O Simpósio tem como tema a problemática dos processos de contato entre culturas na transição da Era, na Europa.

 

O período que medeia entre o século II a. C. e o século II d. C. é uma época caracterizada por interessantes e complexas dinâmicas históricas e culturais, um pouco por toda a Europa. Coincidente com a formação territorial e consolidação cultural do Império Romano, a transição entre a Idade do Ferro e a época Romana ocorreu a ritmos diferentes, condicionada por critérios de ordem geográfica, aspetos culturais diversos de várias comunidades proto-históricas, os acontecimentos marcantes da última fase da República, em Roma, e o surgimento do regime imperial, por entre um conjunto de dinâmicas político-militares, historicamente documentadas.

 

Todos estes aspetos, que têm vindo a ser estudados por diferentes gerações de investigadores, e diferentes áreas de especialização, requerem uma reflexão de conjunto que possa contribuir para clarificar a leitura histórica deste período cronológico, partilhar experiências e resultados e incentivar novos projetos de investigação.

 

O Vale do Terva, em Boticas, no Norte de Portugal, constitui precisamente um território em que se verifica a consolidação de um conjunto de povoados da Idade do Ferro, a complexificação da sociedade indígena e uma progressiva influência romana, que a dada altura opera uma mutação nos padrões de assentamento. Dinâmicas que estão também relacionadas com a existência de consideráveis recursos mineiros e mudanças de ordem climática e ambiental.

 

O Município de Boticas e a Universidade do Minho têm vindo, justamente, a fazer um investimento significativo no estudo, conservação, valorização e divulgação do património arqueológico, com particular incidência em povoados fortificados da Idade do Ferro e sítios Romanos.

 

O CEDIEC - Centro Europeu de Documentação e Interpretação da Escultura Castreja e o PAVT - Parque Arqueológico do Vale do Terva são infraestruturas resultantes do trabalho já realizado, através das quais se procura manter uma dinâmica de investigação atualizada, contribuindo desse modo para a promoção do conhecimento, para a valorização do património cultural e para o desenvolvimento sustentável das populações.

 

É nesta perspetiva que se inscreve este encontro internacional, que irá juntar, em Boticas, investigadores de vários países europeus, que farão um balanço da investigação realizada em distintas áreas geográficas, contribuindo assim para uma leitura global deste período cronológico.

 

Público-alvo:
Investigadores, estudantes, gestores de património, promotores turísticos, público em geral.

Placeholder image